» (English) O ballet e a Dança do Ventre – Afinal que papo é esse?

(English) O ballet e a Dança do Ventre – Afinal que papo é esse?

(English) O ballet e a Dança do Ventre – Afinal que papo é esse?

O ballet e a Dança do Ventre – Afinal que papo é esse?

Recebi um pedido especial, direto da Bahia, não vou dizer de quem, pois assim ninguém mais precisa levar chumbo…rs

Vale lembrar que o ballet clássico tal como o conhecemos, recebeu suas designações e nomenclatura por volta do sec XV e já existia pelo mundo, como forma de expressão muito antes desta data , que foi o início de sua decodificação. Uma forma de expressão nasce, mas nem sempre tem um nome, o nome é dado por alguém, ou um grupo que acredita que isto seja necessário.

 

Quais os nomes que designam os passos de samba? Não existiam até que se decidiu ensinar, de forma organizada, ou decodificada e então surgem métodos, escolas e afins. Um pouco sobre o ballet:

 

ballet

O  primeiro ballet registrado aconteceu em 1489, comemorando o casamento do Duque de Milão com Isabel de Árgon.

(http://www.ebah.com.br/content/ABAAABHfwAB/a-historia-ballet-classico)

Balé (do francês Ballet) é o nome dado a um estilo de dança que se originou nas cortes da Itália renascentista durante o século XV, e que se desenvolveu ainda mais na InglaterraRússia e França como uma forma de dança de concerto. As primeiras apresentações diante da plateia eram feitas com o público sentado em camadas ou galerias, disposto em três lados da pista de dança. Elas são realizadas principalmente com o acompanhamento de música clássica.

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Bal%C3%A9)

Ballet Séc. XV — XVI

O bal­let sur­giu como espe­tá­cu­los sole­nes durante o período renas­cen­tista. Eram espe­tá­cu­los apre­sen­ta­dos em fes­tas aris­to­crá­ti­cas, onde músi­cos e bai­la­ri­nos da corte cola­bo­ra­vam para criar entre­te­ni­mento para a nobreza. A core­o­gra­fia era adap­tada nos pas­sos das dan­ças nobres, os dan­ça­ri­nos vestiam-se da roupa da moda e, ao fim, era comum o “público” entrar na dança.

( http://lojaanabotafogo.com.br/o-ballet-e-sua-historia/#.VM93C53F-So)

Agora a questão se apresenta.

A dança do ventre foi invadida pelo ballet clássico ou a dança clássica, pertencente ao mundo, também existe dentro da arte da dança árabe?

Para quem já viajou ao Egito e fez as visitas aos templos , com certeza se surpreendeu com os desenhos que permanecem além das dinastias naquelas paredes visitadas por pessoas do mundo todo

Nas cenas de festas, os dançarinos apresentam poses que hoje conhecemos como sendo pertencentes ao ballet clássico, mas como? Se aquela civilização teve seu apogeu muito muito antes da idade média, onde esta outra forma de arte se tornou conhecida, e compartilhada ?

aantigo41

Será que somos tão tacanhos para ignorar as imagens que existem há milênios?

Egito 2

A primeira vez em que vi um desenho de Grand Batement, numa das paredes dos templos,fiquei com a boca aberta literalmente. Pois ali, na minha frente eu via um movimento que me parecia pertencente ao mundo moderno, mas que já existia há muito mais tempo e eu não tinha  a mínima idéia a respeito.

Arabesque por exemplo é uma palavra árabe que no Ingles seria ” in Arabic Fashion”

arabesque

 

Creio que todas podem ver como esta versão ocidental é diferente daquela que utilizamos numa performance de música árabe ou não?

kahina arabesque

Kahina, para mim uma de nossas estrelas no Brasil executando a versão oriental deste passo. Notem a diferença de altura da perna por exemplo!

Agora muitos falam de perna alta na dança que isso não cabe de forma alguma e então eu me pergunto, e esta bailarina, que é egipcia, e mundialmente respeitada, tem alguma licença especial para o movimento aqui eternizado?

Dina high legs

As posições que em nosso país são criticadas, existem até mesmo na cidade que é a grande meca da dança como mercado. No Cairo bailarinas internacionalmente conhecidas, se valem da técnica refinada clássica para construir suas apresentações e melhorar seu desempenho

Observem esta postura

Randa

Esta linha náo é desprovida de orientação, pelo contrário, me lembra bastante minhas aulas de ballet.

A qualidade de dança de bailarinas que tem em seu repertório  a prática do ballet , mesmo que tenha sido em sua formação passada, não deixa dúvidas com relação a contribuição do mesmo em suas performances. Muitas vezes tiveram formação  completa em ballet clássico.

Mais uma vez saliento que a dança clássica árabe, que podemos observar no Samah e Muwashahat que é uma das danças palacianas, árabes, é muito mais antiga do que o ballet francês ou europeu, que é matéria hoje em dia de muita controvérsia em nosso meio.

A presença do clássico em nossa dança, é um fato que existe desde os primordios da mesma, a partir do ponto em que a dança se formalizou e passou  a ser executada como entretenimento mais refinado.

Onde não há manifestação clássica? Mais fácil responder a esta pergunta do que a outra bem comum sobre o porque da mesma manifestação ser tão presente em nosso meio!

Baladi e Ghawazee – que eu saiba não trazem influência de técnica clássica, mas Raks Sharki tem em sua formação a presença forte e ativa de vertentes da dança que necessitam mais controle e qualidade executória.

Isso pode ser visto no corpo de grandes bailarinas da atualidade, onde é visivel a presença de técnica acadêmica e até mesmo passos mundialmente conhecidos, que utilizam em suas performances.

Aqui no Brasil , grandes expoentes da dança que tiveram formação clássica completa ou incompleta e que manifestam estas vivencias em seu corpo e sua dança:

Shahar Badri ( Inglaterra) Najwa Mirela Poleto ( México) Kareema ( Alemanha) Janaina Benke , Kahina, Soraya Zaied, Nesrine , Malak, eu inclusive, e tantas outras que seria difícil nomear todas.

No Egito bailarinas que claramente carregam a técnica clássica em seu corpo e performance, do passado e do presente:

Farida Fahmy, Randa Kamel, Dina e preciso dizer mais?

Vale a pena de fato discutir sobre isso? é um fato e não uma questão de opinião. A diferença entre Raks Shaabi e Raks Sharki, é exatamente a presença de elementos mistos no segundo estilo.

Onde colocaremos o grand batement da Randa como possibilidade? Vamos mudar o nome do passo para dizer que não é ballet?

As vezes nos permitimos discutir pontos que não merecem de fato nenhum crédito, Por exemplo o traje ou o visual que alguém decide, diz algo sobre a qualidade de seu trabalho enquanto bailarina, ou do estilo que esta pessoa escolhe para si?

Uma foto de divulgação pode trazer a bailarina em trajes comuns ou em traje de dança, e isso lhe dá um panorama completo de quem ela é? como?

O traje, a forma como uma bailarina decide se divulgar, não pode e nem deve ser seu termometro para avaliar do que ela é capaz como artista! Assista , receba a expressão desta pessoa e então forme sua própria opinião.

8559795104_7ef9262686  AWSRanda Kamel-Egypt4

Kahina  randa 2

Ambas impecáveis ou alguém pensa diferente?

Viva as brasileiras, viva a busca pela técnica para ser o instrumento necessário de nossa expressão artística.

E se me perguntassem o que de fato falta, para nós brasileiras, eu não diria que é quadril não, falta sensibilidade para o Taksim, falta modéstia para o compartilhar e falta idade para compreender que a união é muito mais interessante do que a divisão

Boa semana a todos(as)

Up