» Praga e Porto Rico – dois universos distintos

Praga e Porto Rico – dois universos distintos

Praga e Porto Rico – dois universos distintos
A viagem começou em Praga, uma cidade que já foi assolada por tantas invasões e catástrofes, que carrega em sua arquitetura, os resquícios tanto dos conquistadores quanto das reconstruções.
Nos edifícios que convivem lado a lado, o novo e o velho se comunicam e mostram suas caras.
Coalhada de gente por todos os lados, lá o turismo está a pleno vapor.
Não existe crise aparentemente.
Na verdade a estória nunca é assim, o que vemos por fora não é o que se leva por dentro.
Minha avó já dizia por fora bela viola, por dentro pão bolorento.
Os eslavos, que são a base étnica do país tem o temperamento muito parecido com os russos.
O serviço é a pior parte, a sensação que o turista tem na maioria dos lugares , é a de que incomoda, e não que é um cliente.
De qualquer maneira é uma das cidades mais lindas que já visitei. Parques, o rio que corta a paisagem, castelos medievais, e arte ao ar livre.
Durante a semana em que estive por lá, houve um festival de folclore, chorei vendo os velhinhos dançarem.
A gente reclama por tão pouco, e eles cheios de vitalidade, viajaram horas para estar ali, mostrando suas raízes.
Os cabelos se arrepiam e a alma sorri
No palco no meio de uma grande praça diversos grupos tomavam lugar, trazendo seu folclore específico.
Israel, Austria, Alemanha, e outros tantos paises, cada um do seu jeito celebrando o final do verão.
Maravilhoso, quase perdi uma das minhas aulas assistindo as apresentações….
O que mais me impressionava era a atitude deles, tanta vitalidade e tanta entrega de um jeito simples e totalmente generoso. Muitos grupos tinham sua música tocada ao vivo, e isso fazia uma diferença monstruosa
Um grupo israelita em especial, teve uma energia incrível.
Essa era uma cantora deste grupo, voz linda, olhos brilhantes
Arte em tudo que é canto, é um bálsamo para a alma, faz a gente rir sem querer, chorar por bem, e relaxar por dentro.
No mais a cidade é um estímulo para os olhos, para todo lado que a gente olhe algo chama a atenção e te faz perguntar, a que ponto da história vc pertence.
As igrejas são absolutamente impressionantes, e podemos encontrar de tudo.
Barrocas, neo barrocas e Góticas.
Tem a vontade do freguês. Algumas carregam uma atmosfera pesada e outras não. A cidade fala com vc, e os idiomas são vários.
Tem tour para tudo que é gosto, conheça os fantasmas da cidade!
Da outra vez experimentei esse e era uma noite chuvosa, meio vampiresca, foi interessante
Desta vez meus passeios a pé aconteceram durante o dia, com meu amor, e em um dia em especial andamos sem parar , quer dizer com parada para almoço, por sete horas!!
Essa menina linda brincava loucamente no restaurante indiano onde paramos para comer neste dia.
Oferta especial, 5 euros por um curry maravilhoso.
Ela tinha olhos enormes, pareciam jabuticabas imensas, e o prazer maior era ficar pelo chão, o problema era querer comer o que encontrava por aí.
Imagens falam mais alto do que as palavras, então deixo vocês com alguns pontos destes lugares.
Lugares de encontro de reza, e de choro
Lugares de encantamento também , porque não?
Riquezas que ficam encrustadas nas paredes para sempre, símbolos do que foi e será.
Esculturas e pinturas, que deixam as dúvidas no ar, como isso foi feito Deus do Céu?
As alturas, e envergaduras das construções fazem a gente se sentir pequenininha

Os tetos e pinturas incríveis, me transportaram, ficava imaginando a pessoa que havia pintado os afrescos, tão alto e tão perfeito. Em que condições isso foi feito, quanto tempo levou, quanto da vida ficou ali marcado para sempre?

As igrejas góticas em especial chamam demais minha atenção, não sei se a altura das colunas, se as abóbadas que me deixam sentir tão titica, ou mesmo a energia delas
Fui visitar uma bem antiga, e é uma pena não ter mais informações técnicas para poder fotografar corretamente o que vi, mas já dá para ter uma ideia do interior !

O colorido dos vitrais é simplesmente …wow

A sensação de transporte ao passado para mim é muito mais forte nas igrejas góticas do que nas barrocas.
Cada um se identifica de uma maneira, sou absolutamente fascinada por estas linhas!

Up