» Os braços na dança – muito mais do que moldura- uma expressão em si mesmo!

Os braços na dança – muito mais do que moldura- uma expressão em si mesmo!

Os braços na dança – muito mais do que moldura- uma expressão em si mesmo!
Meu objeto de estudo no momento- final de 2011 
Os braços e suas possibilidades
Não temos mil braços, e nem um corpo de baile tão grande quanto o que se pode ver acima, mas com apenas dois braços, podemos fazer muito por nossa dança e também por nossa expressão.
Os Braços na dança – sua linha mágica!
Não me atenho a um formato específico mas sim as possibilidades que os braços podem alcançar se trabalhados de forma expressiva e harmônica.
Há tempos venho meditando a respeito. Observava minhas apresentações e não me encontrava satisfeita com a forma dos meus movimentos, relacionados a esta parte do corpo.
No festival Mosaico  Brasil Egito , uma aula em especial reacendeu a chama de estudos nesta direção.
Minha inspiração foi um dos professores presentes, Khaled Seif, e a partir daquela aula tenho desenvolvido um novo formato de preparação para a expressão dos braços e das mãos, dentro da dança oriental.
Ainda estou engatinhando mas uma revolução se manifesta.
Nossa experiência nasce ainda na infãncia, experimentando o corpo e suas possibilidades e continua por tempo indeterminado, tomando novos contornos em nossa vida adulta.
Um corpo mais consciente e alerta, está melhor preparado para as fases que vem depois.
Alguns parâmetros se transformaram, e abriram espaço para um mundo novo.
Buscando reconhecer o quanto e como trabalhar meus membros superiores, estou descobrindo uma nova faceta para o ensino e também para a prática.
Os elementos presentes neste momento tratam de experimentar esta parte do corpo através de diferentes referenciais que seriam:
•    O movimento delineado a partir do pulso e das linhas que ele pode desenvolver no espaço . Rotações e mudanças de direção que fazem toda a diferença
•    A movimentação do cotovelo como mobilizador e ponte entre a extremidade e o tronco. Muitos movimentos tem seu apogeu apenas quando esta parte se encontra ativa e atuante
•    Os ombros e as pequenas contrações em linha perpendicular, como iniciadores de desenhos ,  dando maior definição ao todo. Rotações inversas, buscando maior coordenação motora, e novas combinações de movimentos para esta área
•    As ondulações curtas e focalizadas apenas nas mãos, um capítulo a parte na magia que se estabelece através da fluidez e dos movimentos ondulatórios
Elementos que podem ser acoplados aos movimentos trazendo ainda mais brilho a sua performance:
    Mudanças de dinâmica
    Desenhos espaciais , considerando linhas verticais , arredondadas e curvas. O prazer de desenhar no ar
    Utilização dos braços e mãos para envolver também sua cabeça e expressão do tronco superior na leitura musical
Queridas, bons estudos, eu estou mergulhada no meu!!
E viva os braços na dança.
Logo teremos um vídeo didático de Elis Pinheiro versando sobre isso

Nos vemos!

Up