» O sucesso valida o canibalismo?

O sucesso valida o canibalismo?

O sucesso valida o canibalismo?

http---d.yimg.com-gg-u-e15804095a713c159ad49dbddb581d791ddd8ee2 Vale comentar, que o texto a seguir é apenas uma visão pessoal de nosso meio e que de forma alguma, eu me sinto ou acredito que sou a dona da verdade absoluta!! Tenho escola de dança do ventre há exatos 25 anos e, portanto, posso comentar sobre esta atividade com certo conforto. O que é ser uma bailarina, e então decidir ensinar… O que significa ter um local concreto para este projeto, que muitas vezes começa pequeno, com uma sala caseira, o que não foi o meu caso, e depois evolui para algo maior e mais custoso, que é o caso de abrir uma escola de fato. Bom, falando agora da realidade, que é a responsabilidade de gerir uma escola de dança do ventre,  minha principal modalidade no Centro Cultural Shangrila.

Buscamos por um grupo de qualidade, e então estruturamos a grade, e os temas, assim como níveis, de forma a oferecer um arsenal de possibilidades a quem nos procura. Uma parceria baseada no respeito mútuo para que aquelas que ensinam se sintam respeitadas e livres para atuar de acordo com seus princípios, e ainda assim compartilhando uma linha de pensamento coletiva da escola onde estão.

Aí vem a parte concreta do lugar. Instalações, infraestrutura, recepção, limpeza, manutenção geral, e uma interminável lista de coisas a fazer para que esse local possa receber as alunas e oferecer o melhor.

Claro, sem esquecer as formas de comunicação com o público que pode eventualmente se interessar pelos cursos e vivências oferecidos. Então precisamos de um site, webdesigner, planos de divulgação e conexão direta com aqueles que porventura sejam os clientes potenciais do que temos a oferecer.

Tudo demanda um investimento enorme, que não é apenas financeiro, mas muito além disso. Estudos, dedicação, aprimoramento são essenciais e permeiam todas as camadas da escola de qualquer pessoa séria neste mercado.

A administração é outro ponto crucial, que vai desafiar aquela que se responsabiliza por esta parte do trabalho. E aqui chegamos a uma questão importante – como manter a sobrevivência de sua escola! O que é necessário para que seu empreendimento não seja apenas um sonho maluco, sem qualquer chance de permanência? Acredito que a única via possível é desenvolver um trabalho de extrema qualidade, buscar um preço justo para ele, e divulgar o máximo possível, para que possamos atingir aquelas pessoas que buscam pelo que temos a oferecer. Até aqui, tudo bem, parece tranquilo e possível este caminho, até que surgem os “ Canibais das escolas de dança”.

Uma espécie estranha, que tem comportamento agressivo e absolutamente desleal, visando a destruição do outro por puro….? não sei porque!!

O que é canibalismo? Segundo wikipedia, “canibalismo é um tipo de relação ecológica em que certas espécies de animais se alimentam de indivíduos da mesma espécie. Segundo alguns investigadores, essa prática terá resultado da evolução das espécies, com o objetivo de eliminar os indivíduos menos aptos, por exemplo, provenientes de uma ninhada em que alguns filhotes saem dos ovos defeituosos ou imaturos “.

Existem outras definições, vale uma visita! Partindo do principio que toda escola tem custos essenciais a serem cumpridos para se manter aberta, e que necessita pagar seus professores e funcionários de forma justa,  propiciando a eles a sensação de valorização de seu tempo e disposição, como é possível dar aulas por quase nada, buscando por sucesso? Não consigo compreender como promoções malucas, que dão descontos de 70% 80% por meses a fio, podem ser positivas para um estabelecimento, seja ele qual for! No caso de nossa atividade, a única coisa que estas “pseudo“ promoções criam é o caos para quem, como eu e outras pessoas de nosso meio, sobrevivem de seu trabalho e de seus serviços prestados e não podem se dar ao luxo de oferecer gratuitamente seu tempo e o tempo de outros por uma mixaria que não atende absolutamente ao mínimo necessário de entradas para manter um negocio ativo.

As vendas em massa, que só dão lucro a empresa que veicula os anúncios, nos destroem de várias maneiras. Dentre elas:

  • Criam um falso grupo de alunas que pula de promoção em promoção, nunca criando raízes que lhes permitam crescer com sua dança, pois sua busca, é em prol do mais barato , sem qualquer conecção com qualidade e construção
  • Impossibilitam a decisão justa de alguém interessado na dança, que pode sim fazer sua escolha , pela estrutura, bom atendimento, e aulas condizentes e ao dar de cara com uma promoção – venha de graça – opta por este presente de grego e vai para qualquer lugar.
  • Esta forma de tratamento de nossa dança, também destrói as empreendedoras menores que nunca poderiam se dar ao luxo de deixar de lado suas necessidades financeiras para entrar numa campanha deste tipo. Estas escolas menores, ou independentes que não tem entrada de dinheiro externa, e necessitam de um funcionamento saudável e justo, podem sim, chegar a quebrar por esta forma de manipulação de alunas.

distintas Não somos iguais, portanto a solução de nossos problemas não vai ser a mesma. Cada caso precisará de uma abordagem específica, de acordo com nossas necessidades e nossos objetivos. De qualquer maneira podemos sim pensar juntas para o bem de todas!  Então eu convido as donas de escola, as brasileiras empreendedoras da dança, que compartilhem este texto, e que coloquem também sua opinião. Aquelas que lutam sós, e buscam de forma intermitente um caminho possível para nossa arte são a única chance de uma vida perene para esta atividade. Fica aqui o convite para espalhar uma postagem que não é um “bafo” que não fala mal de ninguém em especial, que não apresenta nenhuma nova DIVA mas simplesmente busca um caminho melhor e plausível para todas nós Juntas pela Dança Lulu

Up